domingo, 2 de setembro de 2012

prosa ao oritracon*

  Era quinta, mas também era domingo. Era dia, mas dentro era noite, roxo e não havia estrelas, mas nuvens. O sentimento era de quem anseia mas não consegue esperar, como quando algo está prestes a acontecer e o relógio parece atrasado, errado e a gente fica descrente. Tudo fica devagar, de repente o mundo não tem pressa, as idas já não querem partir e as chegadas ficam mais distantes. Os amantes já não sentem mais, o sol tem preguiça de brilhar e o faz porque é seu dever. As ondas batem sem querer voltar pro mar, mas o fazem porque têm de levar embora o que trouxeram, o que lhes é seu por direito. Os sonhos agora têm nexo e não há mais interesse em perdurá-los, mas em simplesmente acordar. Os dias fogem do mês, e agosto já se foi sem que de fato partisse, dando lugar a um setembro que anseia por outubro. A menina já não crê mais, só observa, atenta, ao mágico tentando encantá-la. Nem o mágico acredita no coelho que sai da cartola. Os ventos já não são tranquilos, as tempestades já não devastam, a chuva já não molha mais. A farsa já não engana; sai, sacana, sem querer se fazer notar, como quem fez algo muito errado e precisa demais só sair sem causar danos. A flor agora não tem cheiro, e espera apenas lhe cortarem o caule pra uma amante presentear. Os dentes-de-leão não são volúveis, mas fixos ao chão e apesar de ainda propensos a voar, o fazem só com o sopro da menina, que por ser descrente, não consegue libertá-los do finco. A vida segue tranquila agora, não levada pela correnteza dos rios, mas pela mansidão dos lagos. As corujas já dormem um sono tranquilo e tudo parece no lugar, mesmo tão disforme.
  E eu... bem, eu já não anseio, planejo, figuro, invento. Vivo assim, do improvável e do contrário, me vestindo de algo que não sei distinguir, mas certa de que é tudo o que tenho. Porque agora não te espero; caminho pra tudo o que me aguarda mês que vem.

*contrário

4 comentários:

  1. Nossa, tu escreve bem hein guria?!

    Em setembro eu anseio por outubro, normalmente, mas dessa vez é diferente, esse ano eu to curtindo setembro de um jeito que eu não curti nunca. Anseio que ele ainda me mostre as coisas boas que tem reservadas para mim.

    ResponderExcluir
  2. Talvez o fato de tu não esperar te traga o que te falta, guria.
    Confia e aceita o que te vier. Por que pode ter certeza, mês que vem será o melhor da tua vida. E o próximo, será ainda melhor.
    Dias bons virão!

    E tu escreve bem pra caramba!

    ResponderExcluir
  3. nossa, que texto intrigante ;)

    as coisas vão se ajeitando e o vento sempre trás coisas boas e leva as coisas ruins!

    sempre virão dias bons, viva a sua vida e deixe acontecer :D

    boa semana, beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Setembro está bom pra mim e tenho lá meus motivos para não ansiar por outubro. Mas Paula, menina... Tu escreve de uma maneira tão gostosa, vai dando vida às palavras que antes não faziam sentido. Eu gosto disso. É daqueles textos que a gente lê praticamente declamando, de tanta beleza que tem.
    Um beijo, @pequenatiss.

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...