quarta-feira, 16 de março de 2011

o que é perdido

   Quero a inocência que só as crianças carregam ao olhar o mundo. A surpresa de, a cada descoberta, maravilhar-se com algo novo. Dar apenas, sem ansiar por uma troca justa, que supere o que foi oferecido. Quero a alegria do sentimento puro, sem expectativas e cobranças, com o intuito de apenas sentir, vivendo e existindo.

   O olhar mais sincero e convincente, o sorriso mais espontâneo e desconcertante, o rubor mais flagrante, sem artificialidades ou superficialidades.

   Porque uma criança não fala o que precisa, mas o que tem vontade. Não age porque lhe convém, mas porque lhe faz bem. Não retribui porque é forçada, mas por sentir-se impulsionada por sentimentos.

   Ela não erra para ferir ou magoar, mas por ser nuamente humana, em sua mais honesta forma.

   Uma criança está despida de toda a malícia e frieza que o mundo nos veste.

2 comentários:

  1. Uma criança está despida de toda a malícia e frieza que o mundo nos veste.

    tem razão,alma pura, mas não dura muito tempo.

    ResponderExcluir
  2. Ela não erra para ferir ou magoar, mas por ser nuamente humana, em sua mais honesta forma.

    Concordo plenamente com isso! Por isso sinto falta da inocência de uma criança.

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...