sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Obrigado por estar aqui

 

  Eu não sei por onde começar, mas estou com medo. Não acho feio, humilhante, covarde dizer que me sinto assim. Não sou obrigada a ser destemida para com o desconhecido. Estou perdida, não sei por onde começar. O meu futuro me dá arrepios, apesar de minha aparente determinação para lutar por ele.

  Eu tenho forças agora, mas não sei até onde serei capaz de suportar. Sei que haverá desafios, dificuldades e – como se não bastasse – haverá pressão. Daqueles ao meu redor e de mim mesma, pois me pressiono involuntariamente. Tenho receio de me decepcionar. Sabe quando você acha que consegue, mas no fundo o medo de falhar te assombra?

  Eu só queria ter certeza de mais coisas...

  Mas espere... Talvez eu tenha certeza daquilo que preciso: que aqueles que me amam me darão forças para seguir em frente se eu cair. Que uma força muito maior do que a de qualquer ser humano me levantará se eu ousar pensar em desistir. Eu só preciso disso, da sensação de que mesmo tudo dando errado, um certo alguém estará aqui comigo, me acolhendo e enchendo meu coração com um amor inexplicável. Não seria ninguém sem essa certeza e agora vejo que a tenho.

  Não se trata apenas de amigos – e não leia esse “apenas” como algo superficial, sem importância para mim. Leia-o como algo essencial, mas menor comparado a Quem me refiro.

  Sei que se um dia eu estiver fraca, não estarei por completo se Ele estiver comigo. Porque em todos os momentos (eu disse todos), Ele esteve presente. Quando tudo desandou, todos me decepcionaram e eu achei que fosse fraca, a paz que Ele me proporcionou foi capaz de me renovar. Não se preocupou com meus erros, minhas bobagens e tudo de ruim que pensei, apenas me aceitou.

  Eu só precisava registrar isso, sou pequena demais para me achar forte o bastante sozinha.

  Obrigada por tudo, Deus.

  "E a palavra vem pequena, querendo se esconder no silêncio… Querendo se fazer de oração." Fernando Anitelli

  “Mesmo fraco, em pedaços, eu prefiro Te dizer: Obrigado por estar aqui.” Rosa de Saron

***

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

surpresas

  Quando ele batera a sua porta depois de tanto tempo afastado, ela mal podia disfarçar a surpresa em seu rosto. Era algo totalmente inesperado, já não se viam e não se tinham notícia há tanto tempo que ela simplesmente o deixara de lado em seus pensamentos. Vez ou outra pegava-se passeando por antigas memórias que tinham juntos, mas evitava chegar àquela sensação de vazio e nostalgia já tão conhecida.

  Foram dois anos de incansável espera por uma coisa incerta e insensata. Ela queria acreditar que, apesar de tudo, ele voltaria. Em seu íntimo sabia que as chances de que isso acontecesse eram praticamente nulas. Levou-lhe um tempo, mas conseguiu convencer-se que o melhor era seguir em frente e anulá-lo de todas as formas.

  Não entendia o que aquela figura fazia agora, na sua frente, na porta de sua casa. Queria xingá-lo, expor toda a sua raiva e gritar que aquela situação era ridícula e absurda. Tudo o que saía era um silêncio agonizante que a fazia sentir fraca. Seus olhos se encheram de lágrimas, mas ela queria que ele soubesse que não eram lágrimas de redenção ou alegria, mas de raiva, repúdio, insignificância até. Queria perguntá-lo como ele podia carregar aquele sorriso desbravado no rosto como se nada tivesse mudado, como se ele esperasse que ela a recebesse com um abraço e um beijo caloroso pelos velhos tempos.

  Era fraca para dizer qualquer coisa; estava em frangalhos por dentro. Juntou todo o orgulho e amor próprio que podia e sem dizer uma palavra, bateu a porta na cara daquele estranho.

  Aquilo era um ponto final em algo que há muito não existia. Precisava estar em paz consigo mesma e essa era a única maneira. Jamais se perdoaria se voltasse a se entregar a alguém que tanto a machucara.

  O que importava agora, era que ela se aceitasse de volta, de bem com tudo a sua volta, de bem com o amor que, apesar de causar tamanha decepção, ainda mostrava-se ali, prontinho para ser descoberto de novo de tantas outras formas.

  Estava livre, enfim.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Refúgio

  Caminhar pela areia sempre me proporciona uma sensação única. É como se eu pudesse sentir toda a paz que tudo ao me redor me transmite... E, agora, olhando para aquela lagoa, eu sinto como se tudo estivesse em seu lugar. Não existe mais ninguém aqui, só eu e aquele céu azul que dá a sensação de infinito. As nuvens, o sol, os coqueiros ladeando a lagoa... tudo tão perfeitamente combinado. Tudo o que quero nesse momento é o nada, o vazio, a ausência. Eu me quero para mim, para sempre. Encontro todas as minhas respostas aqui dentro, onde só eu e mais ninguém consegue alcançar. São as mais sinceras respostas e, pela primeira vez, não tenho vergonha de descobri-las.

  Ah, o vento. Eu caminho e ele me leva junto, como se “me tirasse para dançar”. Chego pertinho da água e os salpicos das ondas enchem meu rosto. Molho os pés, sinto uma temperatura perfeita. É tudo tão completo... eu estou completa. Isso me motiva de tal forma que a alegria que sinto parece impossível de conter. Não me falta mais nada, como pude achar alguma vez que eu estava em pedaços? Tudo o que preciso está aqui, nesse momento. Não ouso interromper essa sensação – a coisa mais idealizada que já pude sonhar – por nada.

  Quero agarrar tudo isso, levar comigo, não me deixar esquecer de como tudo pode ser, se eu quiser. Eu quero essa simplicidade, essa coisa amena que me enche, me preenche, me toma. Não quero mais a certeza, eu quero a dúvida do amanhã. Eu quero o hoje só para mim, em seu máximo. Quero o tudo que esse nada me deu.

  Momentos assim, sim, valem por toda uma existência. Me leve agora se assim eu for feliz. Estou no meu refúgio.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Selo

 

O blog que me indicou foi o Papel de Carta, da Monique :) .

Regras:

1. Colocar a imagem do selo no blog.
2. Linkar o blog que indicou.
3. Indicar 5, 10, 15 ou 30 blogs ao selo.
4. Comentar nos blogs dos indicados sobre esse selo.

Blogs que indico:

1- Vocábulo
2- Road Dreams
3- Da janela lateral
4- A vista de um ponto
5- Dono da Voz

ps: Voltarei em breve com um post novo para abrir o ano :).