sexta-feira, 19 de novembro de 2010

“(…) essa coisa sôfrega: a esperança.”

  Por mais que eu não queira, por mais que evite e a todo momento eu me corrija tentando não retroceder, ela sempre vem. Em pequenas partes, alternados momentos de uma sensação de crença em um futuro que… não foi. Aquela que me trai todas as vezes que tento não cair e me faz ter a impressão de que nada disso é permamente… Esperança. Ela me dói, me machuca sem precisar muito esforço, basta me recordas certos detalhes e me arrancar um sorriso, mesmo sem querer. Logo depois, quando ela se vai sem avisar, resta o gosto amargo da realidade já tão conhecida. Repreendo-me (já é automático) e rezo para que ela não volte e me arranque de vez essa sensação dissimulada de que tudo é só um pesadelo.

  Mesmo sabendo que, ao te ver, vou falhar e ela vai voltar.

  “ E talvez não fosse tarde demais afinal, pois começou desesperadamente outra vez a ter essa coisa sôfrega: a esperança.”  - Caio Fernando Abreu

6 comentários:

  1. Genial a frase do Caio. Adorei o texto.
    Beijo Paulinha!

    ResponderExcluir
  2. nunca perca a esperança na esperança, esse é o segredo.

    ResponderExcluir
  3. Ter esperança vale a pena e a gente só chega a essa conclusão quando persistimos nela e no fim olhamos para trás. Então vemos que a cada momento que parecia ser mais sensato e/ou cômodo desistir, na verdade sempre foi mais justo conosco, correto e bom persistir! ^-^ nunca perca a esperança na esperança, esse é o segredo. [2] Amei e é a mais pura verdade! Beijones *3*

    Lívia - http://vocabulo.confabulando.net

    ResponderExcluir
  4. feliz por estar aqui dividindo com você uma das nossas semelhantes particularidades *-* amei o seu blog, ta de parabéns! seguindo... :*

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...