quarta-feira, 4 de agosto de 2010

If you really like me

 

  Se você me dissesse que gosta de mim, eu duvidaria. Claro, vou sempre duvidar de tudo aquilo que eu não puder alcançar e tocar com minhas mãos. O seu sentimento é algo assim, que só você conhece. Por isso eu tenho medo, não tenho controle sobre as coisas. Mas espere, isso não quer dizer que eu não o retribua. Talvez por isso eu seja tão receosa! Não sei se acontece da mesma forma para você como é para mim. É engraçado como buscamos equilíbrio em tudo e raramente o encontramos. É o segredo da vida, aposto.

  Se você realmente gostar de mim, quem sabe um dia eu consiga compreender. Não, não compreender totalmente, mas aceitar. Sentimentos não são tão compreensíveis, não quando dizem respeito à seres humanos em constantes mudanças. Então, ainda assim, posso me esforçar para tentar acreditar. Na verdade não creio que seja tão difícil, é mais por culpa de minha insistência em não confiar cegamente nas pessoas. Acredite, a culpa não é sua mesmo...

  De que adianta minha resistência? Agora já é tarde. Seus olhos conseguem me dizer sutilmente o que suas palavras me fazem duvidar. Já notei, inclusive, o seu sorriso de satisfação ao me ter por perto. Só não conte a ninguém, pelo nosso bem. Deixe que vejam pelos seus gestos o seu amor por mim, talvez alguém entenda do que se trata e parem de criticar-nos. Será? Acho que não e tampouco me importo com isso: o que sentimos é muito mais forte do que qualquer crítica. Não precisamos disso e não precisamos deles.

  Vamos ser felizes? Se você aceitar, prometo que te direi com os olhos tudo aquilo que não consegui exprimir em palavras.

  Créditos da imagem: aqui

Um comentário:

  1. Que post lindo! Você escreve tão bem *.*
    Vi no post passado que você fez aniversário! Parabéns!!! Tudo de bom e muitos anos de vida! :**

    www.julianaurquisa.com

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...