sexta-feira, 25 de junho de 2010

Incógnitas

 

  Não sou simpática. Sempre disse isso e não canso de repetir. Podem falar que é defeito , que eu deveria ser mais entusiasmada ao falar com as pessoas, puxar mais assunto, mas esse é meu jeito. Muitos gostam, outros muitos não.

  Uma coisa é certa: nunca direi que amo alguém se eu não o fizer. Nunca direi que esse alguém está bem vestido, está bonito, com cara de saudável, e outros agrados se ele não estiver. Prefiro não falar nada (lembram que o silêncio às vezes vale ouro? Pois bem, sigo fielmente esse pensamento). Costumo dizer que aqueles que gostam de mim, o fazem pelo o que realmente sou e não por forçar nada; detesto gente forçada.

  Claro que meu intuito aqui não é me descrever (não quero espantar ninguém!), mas por não ser assim, não quero pessoas assim ao meu lado. Não quero relações forçadas, que sejam só sorrisos. Diferenças existem e precisam ser resolvidas e equilibradas.

  O que mais me incomoda são pessoas incógnitas; você não sabe quem realmente são, porque apesar de se mostrarem de um jeito, algumas atitudes te deixam sem saber o que fazer. Talvez seja um (outro) defeito, mas tenho um escudo natural que se posta à minha frente toda vez que passo a me relacionar com alguém. Um escudo que me faz ser cautelosa com todas as minhas decisões, levar um bom tempo para confiar nas pessoas e acreditar no que elas me dizem. E –pasmem!- consigo me decepcionar da mesma forma.

  Pessoas boas demais me deixam desconfiada. Tudo bem, pode ser um reflexo desses tempos malucos em que não se pode confiar em ninguém, mas o fato é que eu cresci assim (ouso dizer que nasci assim). Meus amigos são amigos mesmo e são essenciais para mim. Não há meio-amigo.

  Pessoas meio-termo não me interessam, não sou fã da imparcialidade, acho que todos temos que ter um posicionamento sobre determinados assuntos. No fundo, temos opinião para tudo, só não temos a coragem de expô-la. Isso também não nos dá o direito de julgar as pessoas com pouco convívio. Há uma grande diferença entre dar a opinião sobre um assunto que se conhece e dar a opinião só para ser crítica. Muitas vezes cometemos esse erro.

  O que quero dizer é que eu gostaria de conhecer as pessoas mais a fundo. Na verdade, gostaria que elas se deixassem mostrar mais claramente, sem medo de serem julgadas. Porque isso acontece a todo o momento, até quando fazemos boas ações. Nos julgam por agirmos contra tudo e todos, mas nos criticam quando fazemos como a maioria. Se espantam quando tomamos atitudes radicais mas nos jogam pedras quando não fazemos nada. Perceberam como a sociedade é contraditória?

  Sim, isso foi um desabafo. Por favor, tenham opinião. Não sejamos neutros o tempo inteiro; não há quem goste de pessoas que vivam em cima do muro. Sejamos intensos e claros.

É, hoje eu acordei meio Lya Luft.

2 comentários:

  1. Realmente, falamos do mesmo assunto de formas diferentes! ^^ Mas é bem verdade mesmo, as pessoas são estranhas e a sociedade é de fato muito contraditória. "Reclamam" se falamos o que pensamos, "reclamam" se omitimos nossa opinião, ah vá! O jeito é sermos como somos e não mudarmos nada quando disserem algo, pois se mudarmos com isso, estaremos mudando a todo segundo... Eu puxei também mais para o lado "sepulcros caiados", que são uma coisa por dentro e outra por fora. Dá uma dor no coração ver, por exemplo, aquele menino lindo e por dentro ter um caráter feio, detestável! :/ Mas é a vida e isso é bom, para valorizarmos o que se vê com o coração!
    Nossa, eu amo seu blog! Seus posts são ótimos. E a propósito, obrigada por me colocar na sua listinha de "leio e recomendo". Beijones e fique com Deus.

    Lívia - http://vocabulo.confabulando.net

    ResponderExcluir
  2. Sou igual a você e fico feliz em saber que meus amigos são meus amigos mesmo eu não sendo desse jeito. Também acho que é melhor ter poucos amigos de verdade, do que vários que sejam falsos ou meio-termo.
    E poucas coisas são mais chatas do que ser julgada por tudo o que você faz ou não faz. E isso é uma coisa que acontece o tempo todo.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...