sexta-feira, 23 de abril de 2010

Saudade. But It will be okay in the morning...


Não há hora, nem lugar, nem ocasião certa para ela aparecer. Às vezes vem de forma inesperada e, em outras, propositalmente. Um perfume, uma música, uma carta, uma rosa, um lugar. Coisas pequenas e simples que nos fazem retroceder à momentos que dificilmente iremos esquecer e que ficaram marcados em nosso coração (piegas, eu sei. Mas é a mais pura verdade). Momentos especiais. Quando menos esperamos, ela - a saudade - vem e nos surpreende com uma sensação de impotência, pois não há nada que possamos fazer.
Sem dúvida, a hora preferida dela aparecer é antes de dormir. Aquele momento em que você pensa em tudo, desde tarefas diárias simples realizadas durante o dia até pessoas que você convive (ou não). É o momento em que nos desligamos do mundo e deixamos nossa mente passear por todos os assuntos que não nos damos o trabalho de pensar durante o dia, aqueles que sabemos estar adiando e inventando desculpas para não pensar. Nessas horas não há como escapar e nem há como evitar. Caso contrário, prepare-se para travar uma luta de horas com seu subconsciente e encarar noites de insônia. É inevitável.
É como se nosso cérebro soubesse que aquele é um terreno delicado e que só pode ser sondado à noite. E então, vem aquele aperto no coração.
Aquela sensação que só quem já sentiu muita falta de alguém sabe explicar. Melhor, sabe entender, porque explicá-la não é tarefa fácil.
Uma incerteza que se soma à insegurança e que te faz temer o futuro de uma forma que você jamais pensou que pudesse temer. Dói mais ainda por não saber quando ela irá embora, já que não há previsão pra nada.
Não saberia dizer se é um sentimento bom ou ruim. Mas com certeza contraditório. Porque no fim, restam as lembranças; aquelas que te machucam e te confortam igualmente. Te machucam por saber que elas fazem parte de um passado que talvez não volte mais. E te confortam por ter sido um época boa da vida com alguém ou mesmo sozinho.
E quando vemos, lá se foram os dias... e as noites intermináveis que, por fim, nos damos conta que elas têm um fim, precisam ter. Mesmo que na noite seguinte comece tudo outra vez...
Tudo ficará bem de manhã.

Um comentário:

  1. saudade é um sentimento que dói , mas que nos faz relembrar coisas boas , sweet memories . *-*
    blog fofíssimo minha linda .

    ResponderExcluir

Deixe sua lembrança...