terça-feira, 23 de março de 2010

Dúvidas,

 Quantas vezes já me peguei pensando em como agir? Inúmeras vezes. Qualquer situação que eu vivo é motivo pra ela nascer: a dúvida. Essa pequena indecisão que se forma na nossa cabeça quando temos que decidir alguma coisa e tomar decisões. Muitas vezes, coisas pequenas: o que escrever, o que vestir, o que falar, o que comer, o que escolher. Coisas simples que talvez não façam muita diferença. E outras que fazem toda a diferença! Qual profissão? Qual caminho seguir? Vou ser bem sucedida, estável ou viver na miséria? Casada ou solteirona? Vou ter uma paixão avassaladora ou viver um amor tranquilo? Vou ser feliz? Vou rir a toa? 
  Dúvidas, dúvidas e mais dúvidas!
  Só nos confundem, nos deixam indecisas. Mas é preciso! Quando temos uma dúvida, analisamos o lado bom e o lado ruim de tomar determinadas decisões, e isso faz com que sejamos mais cuidadosos em nosssas escolhas (apesar de muitas vezes ainda assim fazermos a escolha errada, mero detalhe rs). 
   O que é mais relevante nisso tudo, acho eu, é o tempo que levamos pra decidir as coisas. Porque ter dúvidas é normal, só precisamos nos decidirmos o quanto antes seja lá o que for. A verdade é que ninguém gosta de pessoas indecisas... Por isso é importante sermos determinados para fazer a diferença.
   Nossas escolhas vão nos direcionar pelos nossos caminhos, e no meio disso tudo, erramos, é claro. Só nos basta aprender com eles e seguir em frente. 
   Como eu queria ser menos indecisa! Defeito que eu mais odeio em mim e talvez um dos quais mais me irritam. Mas tenho tantado melhorar isso, acreditem. Um dia eu chego lá !
  
  'Não deixe que o tempo da dúvida te impeça de agir. Se tiver que fazer, faça. Caso contrário, quando você voltar atrás talvez possa ser tarde demais.'


  

terça-feira, 2 de março de 2010

Terapia

 'O pior erro que você pode cometer é achar que está vivo quando, na realidade, está dormindo na sala de espera da Vida'
       ******      
                           
Terapia

Escrever.
Escrever o que vier à cabeça, escrever o que eu penso, o que eu sinto, o que eu acho, o que eu critico, o que eu discordo
Escrever, só escrever.
Me sinto leve quando o faço, sei que de alguma forma estão me ouvindo.
Mesmo que não haja ninguém.
Meu desabafo vai ganhando forma no papel, minhas idéias vão se formando mais rápido do que o rabisco da caneta.
E então aquilo surge.
Minhas idéias, minha palavras, só minhas!
Meus sentimentos, reprimidos ou não, minhas tristezas, minhas alegrias, meus conselhos.
Está tudo ali.
Por quê?
Porque me faz bem. Eu não consigo mais parar.
Porque eu preciso disso.
Porque me sinto livre, sem limites.
Sem vergonha, sem medo, sem palpites, sem opiniões indesejáveis, sem perguntas, sem explicações, sem questionamentos, sem sentido!
Não é preciso um sentido para que eu escreva.
Basta querer.
Basta a vontade e a necessidade de me expressar.
E a cada dia que passa me sinto mais certa de que é isso o que tenho que fazer pelo resto da minha vida.
Como carreira ou não, nunca vou parar de escrever.
Nunca vou deixar que minhas idéias e sentimentos sejam calados.
Quem não escreve não se entende.
Não questiona; aceita.
Nunca vou conseguir parar de escrever.
Só quando eu morrer...
E ainda assim sinto que não vou sossegar onde eu estiver.
E se houver um papel e uma caneta, me deixe lá.
Vou descansar em paz.
Vou escrever em paz.


  Pra terminar, eu tenho que postar essa foto ! Foi minha irmã que fez essa arte rs. Criatividade a mil!


   Beijos.