quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

New Year Wishes

Oi pessoaaas (:
  Tudo ok? Uau, eu to de férias *-* Já tinha esquecido como é essa sensação! Férias merecidas, diga-se de passagem, acho que esse ano valeu a pena, nunca estudei tanto. Agora é descansar e aproveitar a melhor época do Ano. Natal, Ano Novo, adoro. Então, acho que vou falar disso. Fim de ano.
New Year Wishes





 Todo fim de ano é a mesma coisa. Eu sempre me surpreendo, parece que a cada ano as lojas estão mais rápidas na corrida pra arrumar as coisas pro Natal! Chega em Novembro e você já vê tudo arrumado! Isso me deixa totalmente desesperada... Principalmente esse ano, quando eu percebi que o ano tava acabando e eu nada de passar de ano na escola. Mas isso não vem ao caso, até porque eu já passei e to de férias. Voltando...


  Fim de ano é sempre assim. Família reunida, aqueles parentes que você vê uma vez por ano (justamente no Natal), sempre perguntam se você está namorando, como ta na escola, porque você engordou, falam que está mais baixinha ( eu já nem me surpreendo mais. Geralmente me diminuem uns 5 centímetros a cada ano!). E tem sempre situações constragedoras... Do tipo : ‘ Ué, cadê o Ricardinho, seu namorado?’ E você já terminou com ele há mais de 1 ano! ‘Nossa, como você troca de namorado rápido menina!’ Esses comentários são realmente constrangedores.


  Tem sempre um vexame também. Pelo menos na minha família ! É um tio que exagera no vinhozinho, a prima que fala demais, sua avó inconveniente... E o amigo oculto? Nunca ganhei um presente de amigo oculto que eu gostasse realmente! Bizarro. Mas sabe, no fundo eu gosto. Essa época do ano me enche de esperança, mesmo que eu saiba que dificilmente alguma coisa vai mudar.


  Ano Novo sempre fazemos pedidos, nossa esperança nunca morre, sempre achamos que pelo simples fato de o ano mudar, tudo pode se ajeitar. Afinal, nessa época, somos tão receptivos! Na virada do ano nos abraçamos, desejamos paz, amor, felicidade, dinheiro... Pedimos sempre boas vibrações pro ano que vai entrar. E é claro, sempre com a esperança que isso vai acontecer mesmo. Prometemos mil coisas; começar a dieta, entrar pra academia, estudar mais (ou simplesmente estudar), arranjar um namorado, fazer novos amigos. Nas primeiras semanas até nos esforçamos, mas no fim, aquilo tudo se perde e deixamos, quem sabe, pro ano que vem.


   O que mais me impressiona não é o fato de tudo ficar perdido na noite do dia 31, mas sim o fato de nunca perdermos as esperanças. Acreditamos sim, que um dia aquilo que mais queremos vai acontecer ou que aquilo que mais detestamos vai mudar. Talvez aí seja o foco; a esperança. O desejo de mudar o mundo. Mas, se isso nós temos, por que simplesmente não nos esforçamos pra mudar? Se nossa força de vontade é tamanha, por que não botar isso em prática? Podíamos simplesmente fazer de nossa vida uma eterna noite do dia 31. Não perdendo as esperanças, acreditando sempre. Não importa no que, mas acreditando. Lutando até o fim para alcançarmos seja lá o que for.


   No final, vai ver que o que o mundo precisa é disso. Acreditar que é possível. Porque, se entrarmos para uma batalha acreditando que está perdida, quem irá lutar por nós?


   Bom, que venha o Natal e o Ano Novo com toda aquela magia que contagia a todos (ta, isso ficou mega brega, mas não me importo, se é assim, eu sou MEGA brega). Ainda falta um pouco, mas quem não se anima com aquela árvore e aquelas luzes todas piscando com a família reunida? Depois que entrei de férias parece que a magia do Natal tomou conta de mim. Vai ver esse era o propósito de Jesus... Grande Homem.


Beijos e até a próxima (:


Ah, não exagerem no vinho, ok?

sábado, 5 de dezembro de 2009

Finally, I'm back !

  Oii pessoaas (:
  Eu sei, eu sei, ando bem sumida ! Maaas, as aulas estão acabando e semana que vem já to de férias, que felicidade. Só fiquei em Química ¬¬.
  O blog anda meio largadinho, é verdade, mas nem adianta eu postar quando não to inspirada, vai ficar totalmente sem graça. Além disso, não quero que isso se torne uma obrigação, então, eu vou tentar postar sempre, mas não com tanta frequência (isso faz algum sentido ? ) .
   Deixando minha vida de lado...



  Fearless
  Ele tinha medo.
Talvez fosse seu pior defeito, essa sensação que sempre aparecia quando estava diante do desconhecido.
Ele simplesmente se apavorava, entrava em pânico.
E sempre isso o atrapalhava, o prejudicava.
Não conseguia pensar direito.
Apesar disso, não era com o desconhecido que ele se deparava agora.
Aliás, ela era bem familiar. Ele a amava tanto!
Por tudo o que tinham conversado, rido, chorado, gritado...
E no entanto estava com medo de sua reação, seu erro tinha sido insuportavelmente grave e impensado.
Não queria perder o que conquistara.
Mas aquela sensação o consumia por dentro, ele procurava maneiras de adiar aquele momento de qualquer jeito.
Como ela reagiria quando soubesse o que ele havia feito?
Não tinha coragem, era um medroso.
Onde estava aquela coragem toda que ele insistia em dizer que tinha?
Sempre disseram a ele que enfrentasse as coisas, como um homem devia fazer.
Nada de adiar as coisas pra última hora, o que tinha que ser feito, devia ser feito o mais rápido possível.
Ora, era tão fácil falar!
'Não seja medroso, não adie as coisas!'
A verdade é que ninguém é tão corajoso a ponto de não ficar pensando em mil situações antes de tomar uma decisão.
Adiamos o que for por um bom tempo.
Por puro medo.
Medo de arriscar, perder, decepcionar, falar, enfrentar.
Medo de agir.
E tá aí, nosso maior erro.
Medo.
As coisas seriam mais fáceis se fôssemos mais bravos, não?
Ele não sabia por onde iria começar, mas tinha que fazer.
Sentia que ia explodir caso adiasse por mais algum tempo o que precisava dizer.
Então, começou a ensaiar, era inevitável...
''Vicky, preciso dizer uma coisa... Me desculpe, eu não pretendia. Foi algo não programado e que sei que vou me arrepender pro resto da vida.''
Não, não ia ensaiar droga nenhuma!
Nunca fora bom em gravar coisas, ia gaguejar e atropelar as palavras.
Era melhor simplesmente falar. Sem programar nada.
Ou talvez...
Diziam que quanto mais rápido, menor a dor.
Será que era verdade?
Imaginou-se falando.
''Vicky, eu engravidei uma garota.''
E conseguiu imaginar as lágrimas que brotariam em seus olhos.
Não consegui pensar em mais nada.
Só pegou suas coisas e tirou o carro da garagem.
Contaria tudo a ela.
E tinha que ser agora.
Sentia que não podia mais suportar o bolo que se formara em sua garganta.


   Apesar de curto, eu gostei do texto. Eu preciso falar que escrever é como uma terapia pra mim. E faz muito bem.
  Ah, ia esquecendo... Toda segunda-feira eu posto uma coluna nesse blog : www.thefoxtimes.blogspot.com .Falo sobre comportamento, é bem leagl. Cada dia uma pessoa diferente posta sobre determinado assunto, vale a pena ver (:
  Vou indo que ainda tenho que dar aquela estudada em Nomenclatura, Geometria Molecular e afins.
   Beijos , até !